Conectar conosco

Notícias

Bolsa Pano? Joven Pan já recebeu em seis meses de 2020 mais do que em todo ano de 2019

A guinada da noite para o dia da Jovem Pan ao se tratar do “governo” Bolsonaro foi percebida por todos, quando passaram à defender as ações Bolsonarista, até mesmo conflitando com o que falavam antes. Muitos, inclusive ex-integrantes da rede, passaram a fazer insinuações sobre que chamam “Bolsa-Pano”, nome dado à imprensa “marrom” [termo utilizado por várias vezes por Augusto Nunes, que faz críticas à atuação parcial de seus colegas de outros veículos].

Quando num dia no programa Pingo-no-Is, Augusto Nunes [que ultimamente anda bem desinformado e acaba comentando factoides de internet – que não tem mais Felipe Moura para corrigi-lo] começou a defender o governo sobre o que diz ser um absurdo as pessoas ignorarem os problemas econômicos que o isolamento causa [repetindo os discursos de Bolsonaro] e até mesmo minimizando o uso de medicamentos já descartados no resto do mundo, foi unânime que algo tinha acontecido, principalmente porque no mesmo dia Trindade, que parecia ser bem sensato, foi no mesmo sentido e a partir daí todas as críticas quanto à negligência no combate a pandemia deixaram a existir.

Os únicos argumentos eram de que Bolsonaro estava certo e que a pandemia [que naquela época já havia demonstrado ser problema grave e seguia no mesmo caminho de outros países]. Ainda sem levar em consideração que o primeiro ano de governo tinha tido um resultado econômico pífio e, de acordo com o próprio governo [ouçam bolsonaristas: de acordo com o próprio governo] seria ainda pior em 2020 [o que piorou com o coronavírus], e nesse caso nem poderiam mais culpar governos anteriores.

Vale lembrar que pouco tempo antes a Jovem Pan teve sua logo colocado num vídeo que saiu do “gabinete do ódio” [que eles dizem não existir] e postado em suas redes sociais onde Bolsonaro é comparado á um leão [que chega ser hilário] e hienas o atacavam, representadas por logos de veículos de imprensa e até o STF, entre eles como dissemos estava a logo da Jovem Pan.

Bolsonaro, que adora atacar a imprensa, e disse que suas lives às quintas é a melhor forma de “levar a verdade” à sociedade, deixou até mesmo que a equipe de Pingo-nos-Is participassem. Claro, nada que fosse negativo perguntar à Bolsonaro foi feito.

Pagamentos:

Muitos consideram essas mudanças de “opinião” uma mudança ocasional seja de Augunto Nunes [que tem sido chamado de Reinaldo Azevedo Bolsonarista] e de Trindade, que naqueles dias estavam apresentando o programa sozinhos depois da saída de Felipe Moura [que continua com a mesma opinião que compartilhava antes em sintonia com os colegas – ex-colegas]. Claro, não estamos citando Rodrigo Constantino porque estamos falando de jornalistas que anteriormente dávamos credibilidade.

Em buscas no Site da Transparência do Governo Federal pelos pagamentos feitos à RADIO PANAMERICANA S A (60.628.922/0001-70), chegamos ao seguintes valores:

Total pago em todo ano de 2019: 223.963,30

Total pago nos primeiro seis meses de 2020: 262.436,58

Ou seja, se continuar nesse rítmo eles vão receber do governo, considerando esse CNPJ, mais que o doblo do que haviam recebido no ano passado, quando não defendiam a posição de Bolsonaro quanto à economia [e ignorância das mortes por coronavírus] e eram consideradas hienas que o atacavam.

Para piorar [e para compreender]

Para quem ainda acompanha aquele canal sabe que até críticas a Lava-Jato [que antes defendiam a todo custo – e a Moro] também tem recebido críticas [mais leves, mas que antes não existiam] seguindo o novo discurso de defensores de Bolsonaro, e se derem uma olhada no Youtube as entrevistas verão a nova linha, que convidam personagens como Roberto Jefferson [que diz considerar que Lula foi condenado sem provas], Allan dos Santos e similares. Será que Carluxo está ditando a Redação?

Continue lendo
Publicidade
clique para comentar

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Justiça

Bruno Salles diz na CNN que Lava-Jato trouxe prejuízos ao Brasil

Durante o quadro Grande Debate, na rede de TV CNN Brasil, mediado pela jornalista Monalisa Perrone e Caio Junqueira, Bruno Salles, que discutia com a advogada Gisele Soares, disse literalmente e por mais de uma vez que a operação Lava-Jato trouxe prejuízos ao país, usando como “argumento” os dados de recuperação de valores dos crimes e os prejuízos que trouxe às empresas envolvidas nesses crimes.

Gisele Soares defendeu a Lava-Jato, o que não esperávamos, já que fazendo a defesa sempre intrínseca do governo Bolsonaro [que de combate a corrupção nunca teve nada – e olha que devem estar olhando positivamente o ataque de Aras] se esperaria que fosse também na linha de Bruno, claramente de esquerda [que como os bolsonaristas não gostam muito que se investiguem os crimes de quem simpatizam].

Salles chegou ao absurdo de dizer que ações como foram as da Lava-Jato criavam mais crimes.

Considerando a “lógica” de Bruno Salles, não deveríamos combater os crimes, como tráfico de drogas [grave como os crimes de corrupção] pois ele gera “empregos”, mesmo informais, suas “empresas/facções/cartéis” movimentam dinheiro também ilegalmente, pagam suborno e geram desigualdades e crimes associados.

Com certeza foi um PEQUENO debate, ou melhor, baixo debate.

Continue lendo

Economia

Banco do Brasil vende carteira ao BTG Pactual por 12% do valor

O Bando do Brasil está tendo de se explicar porque vendeu uma carteira avaliada em R$ 2.9 bilhões por apenas R$ 371 milhões ao Banco BTG Pactual.

Tudo acontece quando há uma debandada de integrantes de alto escalão de órgãos ligados ao Ministério da Economia [que nega] mas é reforçado pela declaração de ontem do atual presidente do BB, Rubem Novaes, que pediu demissão e vai sair ao findar o mês de julho. Ele disse “não se adaptar à cultura de privilégios, compadrio e corrupção em Brasília.

Ou seja, nada diferente da época petista.

Continue lendo

Notícias

Paulista: Grupo bolsonarista leva bandeira neo-nazista ucraniana e cria tumulto com de esquerda

O grupo bolsonarista que vinha há vários domingos fazendo protestos na Avenida Paulista foi surpreendido no fim da manhã de hoje por outro grupo, que a princípio seriam integrantes de torcidas organizadas de futebol diversas e movimentos sociais de esquerda, que chegaram vestindo preto e gritando palavras de ordem à respeito da democracia.

A Polícia Militar fez o isolamento dos dois grupo para não haver conflitos, contudo, uma integrante bolsonarista com bandeira dos estados unidos e usando uma taco de baseball partiu para junto do grupo de preto, criando atrito, e mais tarde um outro integrante com um bandeira de uma organização pro-nazista da Ucrânia também fez o mesmo instaurando o caos. Nesse momento a PM tenta conter o tumulto que se fez entre o grupo de preto que resolveu partir para o confronto.

Continue lendo

Trending