Conectar conosco

Política

Entrevista com Alvaro Dias

Em entrevista exclusiva com o Alvaro Dias, o senador quando questionado sobre o andamento da lava jato rumo ao PSDB diz que a operação “é e deve ser imparcial, como qualquer investigação” e que o FHC é um homem íntegro. “Não é lícito fazer ilação sobre a honra alheia.”

Exclusiva com Alvaro Dias

A Proposta de Emenda Constitucional – PEC 333 que acaba com o foro privilegiado de parte dos ocupantes de cargos públicos está pronta para votação mas não anda. Uma vez aprovada a PEC, muitos dos alvos da lava jato não iriam para o crivo do Supremo Tribunal Federal (STF). O senador Alvaro Dias esclareceu alguns pontos sobre o andamento da PEC, falou um pouco sobre lava jato, PSDB (partido que já fez parte), ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e cloroquina.
Daniela Schwery
27 de julho de 2020 | 18h54m

A PEC do foro privilegiado está empacada por alguma ação/omissão do governo ou tão
apenas pela atuação do Maia? A gente vê um empurra-empurra entre Bolsonaro e sua base, e Maia. Quem não tem bandido de estimação e quer entender com verdades fica meio perdido. Pode nos explicar, por favor?

Trata-se de uma proposta emblemática que atende à aspiração nacional por uma nova Justiça
no País, onde todos seremos iguais perante a lei. O privilégio se transformou no guarda-chuva
protetor daqueles que cometem ilícitos, que praticam atos de corrupção e permanecem
impunes. A emenda constitucional PEC nº 10/2013 (na Câmara PEC 333/2017), proposta de
minha autoria, percorreu um longo itinerário, desde sua aprovação, por unanimidade, pelo
Senado, numa quarta-feira histórica, 31 de maio de 2017. Há mais de mil dias ela transita na
Câmara dos Deputados e falta apenas a etapa final, crucial e decisiva: a votação em plenário.
Isso depende de uma decisão soberana do presidente da Casa. Um gesto apenas e daremos
esse importante salto civilizatório. Não deveria haver muito ainda que atar e desatar. Em
lembrança do grande escritor português António Alçada Baptista, estamos diante dos nós e os
laços do foro especial por prerrogativa de função. O atar e desatar dessa questão deixo ao
leitor interpretar.

Uma vez que a PEC seja aprovada, vereadores, deputados e senadores também poderão
ser punidos mesmo que em exercício?

São mais de 55 mil autoridades blindadas pelo foro por prerrogativa de função, o foro
privilegiado, uma aberração sem similar no planeta, como costumava dizer o saudoso
deputado e jurista, Luiz Flávio Gomes, LFG. Após sua aprovação, os parlamentares deixam de
ocupar o pedestal do foro privilegiado. Serão julgados como qualquer cidadão comum, com
exceção dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Lembrando que os
Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões,
palavras e votos. A propósito, no Brasil durante 145 anos deputados e senadores não tiveram
prerrogativa de foro.

Você vê com bons olhos a lava jato ampliar a atuação no PSDB? Por que na sua opinião só agora que resolveu andar pros lados do PSDB? Tem gente do PSDB com e sem foro privilegiado, mas isso ocorria também na época do boom do “Fora PT”, a própria Dilma possuía foro. Você crê que há uma blindagem maior quando o assunto é PSDB e isso pode estar impactando no andamento da PEC?
A Operação Lava Jato é e deve ser imparcial, como qualquer investigação. Deve-se averiguar e
apurar toda e qualquer infração penal que supostamente foi cometida, independente do
partido político que o investigado seja filiado. Não enxergo nenhum favorecimento nas ações
conduzidas pela operação.

A gente torce pra lava jato chegar nos cabeças que são as cúpulas dos partidos (Lula,
Temer, etc.). Você acredita que FHC está nesse balaio? Esses nem foro têm mais.

O conceito moral e ético conquistado ao longo da vida pública, a nossa reputação pessoal, é
um patrimônio inestimável. Não é lícito fazer ilação sobre a honra alheia. O ex-presidente
Fernando Henrique é um homem íntegro.

Só pra encerrar e descontrair um pouco: você tomaria cloroquina? Ofereceria cloroquina a uma ema?
Toda e qualquer medicação deve ser rigorosamente prescrita por um médico. No caso dos
animais, a palavra é do médico veterinário.


  • Exclusiva com Alvaro Dias

    "Toda e qualquer medicação deve ser rigorosamente prescrita por um médico. No caso dos animais, a palavra é do médico veterinário." Senador Alvaro Dias

  • Exclusiva com Alvaro Dias
Continue lendo
Publicidade
clique para comentar

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro quer importar arroz e prejudicar produtores brasileiros

Diante do aumento de preços nos produtos básicos, entre ele o arroz, Bolsonaro decidiu que vai importar arroz para forçar a redução do produto no Brasil. Essa medida populista, que lembra os governos petistas/dilmistas [todo o governo de Bolsonaro é similar aos dos petistas, nas coisas morais, éticas, legais, ilegais e nas que não são assim], vai acabar prejudicando produtores brasileiros de arroz [forçando a baixa] que vêem com esse aumento uma forma de recuperar com exportações as perdas passadas.

Bolsonaristas batem palmas [exceto os bolsonaristas que produzem arroz – que talvez deixem de ser bolsonaristas] ignorando as críticas que fazem aos governos estrangeiros que tomam tal estratégia prejudicando outros países [não o deles como é o caso], como a China [ignoram o EUA – geralmente com a soja].

Apesar de ser tradicional na culinária brasileira, as pessoas podem aprender a substituir o arroz com outros produtos que não tiveram aumento, sem consequências à saúde, da pessoa e da economia do país [que tem reflexos diretos na saúde econômica e biológicas dessas mesmas pessoas]. Se eles querem pagar caro pelo nosso arroz, agora, deixe que paguem [ou parem de reclamar de ações semelhantes quando a venda é para o Brasil] e aguardem o mercado voltar ao normal, a própria redução das vendas dentro do país vai garantir isso.

Claro que eles, e os produtores, sabem que essa alta não é algo que vai se manter, não precisa de tal atitude [ou será que Guedes não sabe e age como Ciro Gomes jogando números ao vento? ou mais uma vez se cala e se rende ao populismo de Bolsonaro que jogou nele a culpa de não conseguir apoio no congresso para aprovar novo imposto e então atrasar o lançamento do Bolsa Família Bolsonarista turbinado com dinheiro do cidadão economicamente ativo?]

Bolsonaristas que compartilham teorias loucas de conspiração no “zap do Bolsonaro”, mesmo sendo boa parte do que compartilham ações criadas pelo próprio Bolsonaro, não conseguem [querem] perceber uma coisa tão básica, clara, transparente [que nem se enquadra em teoria pois já são fatos], simplesmente porque se comportam como os petistas, que continuam a xingar, chamar de comunistas, socialistas, enquanto o governo [aliado aos corruptos que antes xingavam], toma atitude essas ações comunistas/socialistas.

Continue lendo

Política

Proposta de quarentena para juízes se candidatarem é tão ridícula que nem deveria ser comentada

O Ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, aquele que não conseguiu ao menos passar em concurso de juiz de primeira instância, mas que chegou à mais alta corte judiciária do Brasil por ter sido advogado do PT, sugeriu uma quarentena de oito anos para que juízes e procuradores possam se candidatar após deixarem a magistratura [quem tem dúvida que não partiu dele a ideia?] e que junto aos políticos [boa parte investigados por corrupção] ganhou apoio.

Um juiz não deixará a carreira para se candidatar depois de oito anos, enquanto um juiz aposentado não vai se candidatar devido à sua idade já avançada, ou seja, praticamente impede que sejam candidatos.

Dizem os apoiadores que isso impede eles que utilizem da função para ganhar evidência e mais tarde votos. Mas se a “desculpa” é essa então porque não proíbem a reeleição já que os políticos estão em cargos políticos e se candidatarão em cargos políticos [repetitivo? sim, para entender o quanto é absurdo].

Acha que pode ser pior, mais absurdo/ridículo? pode, se lembrarmos que eles, políticos, tem dinheiro público disponível durante seu mandato para “divulgar que estão trabalhando“, a tal verba para divulgação da atividade parlamentar.

Continue lendo

Justiça

Bruno Salles diz na CNN que Lava-Jato trouxe prejuízos ao Brasil

Durante o quadro Grande Debate, na rede de TV CNN Brasil, mediado pela jornalista Monalisa Perrone e Caio Junqueira, Bruno Salles, que discutia com a advogada Gisele Soares, disse literalmente e por mais de uma vez que a operação Lava-Jato trouxe prejuízos ao país, usando como “argumento” os dados de recuperação de valores dos crimes e os prejuízos que trouxe às empresas envolvidas nesses crimes.

Gisele Soares defendeu a Lava-Jato, o que não esperávamos, já que fazendo a defesa sempre intrínseca do governo Bolsonaro [que de combate a corrupção nunca teve nada – e olha que devem estar olhando positivamente o ataque de Aras] se esperaria que fosse também na linha de Bruno, claramente de esquerda [que como os bolsonaristas não gostam muito que se investiguem os crimes de quem simpatizam].

Salles chegou ao absurdo de dizer que ações como foram as da Lava-Jato criavam mais crimes.

Considerando a “lógica” de Bruno Salles, não deveríamos combater os crimes, como tráfico de drogas [grave como os crimes de corrupção] pois ele gera “empregos”, mesmo informais, suas “empresas/facções/cartéis” movimentam dinheiro também ilegalmente, pagam suborno e geram desigualdades e crimes associados.

Com certeza foi um PEQUENO debate, ou melhor, baixo debate.

Continue lendo

Trending